quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Saxofone soprano de papel em si e saxofone soprano quadrado em lá - considerações, projeto, como fazer, etc

Olá macacada que aparece aqui para ler minhas esquisitices, blz?
Então, hoje colocarei algumas considerações sobre 2 instrumentos que fiz e aparecem no vídeo abaixo, o saxofone soprano de papel em si e o saxofone soprano quadrado em lá:

De onde veio a ideia do sax de papel:

Minha comparsa faz, já a alguns anos, umas esculturas com garrafa pet e papel colado com cola de farinha, que não é o famoso machê, mas, sim, uma forma/técnica chamada papietagem, que é colar papel picotado em camadas, de forma a cada papel picado ser colado para travar o próximo, por exemplo, você cola um na longitudinal, cole outro por cima na vertical, diagonal, e assim vai indo. Aprendi com ela, e, da mesma forma que ela, uso para grudar o papel a cola caseira de farinha (em geral, farinha vencida, e sempre misturamos na massa, no final, um pouco de limão ou vinagre, para não ter problemas com fungos).
Já tinha usado tal técnica para fazer meu didgeridoo de papelão (video: https://www.youtube.com/watch?v=CsTyafsYWAY) , onde colei um cone de plastico num tubo de papelão com essa técnica, mas, ainda não tinha pensado em usar em um sax, pois, em testes com papelão o resultado não tinha sido muito bom. Bom, a ideia ocorreu de uma falha de outra ideia, esta sugerida por um amigo de meu pai, o mecânico Montovani, que disse-me para fazer um cone de papel para servir de molde para um sax de fibra de vidro ou gesso. Como estava eu de saco cheio dos problemas de afinação causados pelos diferentes diâmetros do pvc, resolvi tentar, afinal, poderia usar outra coisa sem ser o gesso ou fibra de vidro, algum reciclado para todos poderem se apropriar com custo baixo.
Ao fazer o molde com a papietagem, a coisa não saiu tão bem, pois uma seção saiu mais quadrada (perto da boquilha, as notas da mão esquerda, no caso, fá, sol, lá e si), ou seja, o molde tinha se perdido, mas, ficou tão duro o molde, que resolvi testar com a boquilha, e, vualá, um si bonito e bem projetado! Dai "meti o loco" com um ferro em brasa para abrir os furos, e veio todas as notas. Claro que furei em alguns pontos errados, mas, usando a técnica de papietagem, concertei :D No fim, tinha um instrumento de papel, com um som que era bonito e doce, e, ao mesmo tempo, leve, alcançando 12 notas (8 da primeira oitava mais 4 agudos, isto sem contar os acidentes usando o dedilhado forquilha e os meio-furo).

Do sax de papel ao sax quadrado!

Feito o sax de papel, me veio a questão "será possível um sax inteiro quadrado?". Essa questão surgiu do sucesso do sax de papel com o tubo na área dos agudos quadrado. Sabia já que o sax tem ondas que se comportam de forma similar à flauta, e ai lembre das flautas quadradas ( vide http://www.lazarsearlymusic.com/Paetzold-Recorders/paetzold_recorders.htm e http://www.dolmetsch.com/millennium.htm ), elas oitavam, e são quadradas, bem como o square serpent (vide: http://www.serpentwebsite.com/SQPT_concept.htm ) me animou muito em fazer o teste, afinal, se não desse certo, poderia tentar um desses 2 instrumentos. Como me divirto muito testando, testei, e saiu essa coisa, toda quadrada, soltando um Sol# alto, que logo foi domado com uma serra de cano para um La bonitinho!
Para fazer este instrumento, usei uma placa de fibra de vidro, no caso, as sobras do gavetolão (vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=VAa6a-s8dj4 ), mas, houve problemas, pois, ao cortar a placa com uma tesoura, ela  rachou em alguns pontos, por isso, tive de unir as partes com fita isolante, e, ao terminar de cortar os 4 triângulos, tive ainda de de uni-los, e para tal me usei de fita durex transparente, pois era o que eu tinha na hora, ocasionando, após o Si, um crescimento irregular do tubo, o que faz apitar muito a nota lá, mas, ainda sim, funciona. A estética ficou fodida, mas, ainda sim, é bem usável!

Medidas do sax soprano quadrado em lá:

As medidas dos dois sax são parecidas, portanto, postarei a do sax em Lá, e, quem quiser fazer em Si ou Sib, diminui um pouco, tipo, faz uns centímetros além do furo de Si.




Tudel: 5cm para fora do instrumento + 2 cm para dentro (usei uma mangueira de 10mm de diâmetro
Diâmetro inicial do sax (sem ser o tudel): 15mm
Diâmetro final do sax: 50mm
Comprimento: 50cm

Furos (contando do diâmetro maior até o menor):

Si - 14,5cm
Do- 19,5cm
Re- 22,5cm
Mi- 27 cm
Fa- 32cm
Sol-35,4
La- 38,5cm
Furo da oitava:46,8cm

A seguir, uma imagem bonitinha, para vocês distribuírem a vontade (só que não):





Sobre as chaves deste sax:

Neste sax uso 1 chave aberta (podes conferir mais escritos em http://silviofeitosa.blogspot.com.br/2012/01/como-fazer-chaves-de-pvc-para-sua.html ) e uma chave fechada na nota da oitava. Já tinha feito um modelo de chave para a oitava num outro sax (vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=33gjJ-U6IC8), mas, essa era aberta. A chave fechada usa uma base (no caso, usei uma rolha cortada), uma placa de plástico rígido, EVA para vedar e elástico de dinheiro para servir de mola. Abaixo, um pequeno esquema, para os pobres leitores entenderem melhor:






Quanto custou todo esse sax?

Como eu já tinha ferramentas (tesoura, faca, chave de fenda para ser aquecida e abrir os furos) e matéria-prima (EVA, cola quente, durex, placa de fibra de vidro, serra de pvc, elástico), saiu praticamente de graça!
Supondo que alguém fará o instrumento do 0, creio que sairia uns R$10,00 no máximo, pois teria de adquirir durex larga, tesoura (pode ser a mais vagabunda de 1,99), cola quente (em loja de 1,99 custa aproximadamente R$1,00 o bastão, e 1 bastão é o suficiente), EVA (R$1,00 em papelaria), serra de cano, elástico de dinheiro. A placa de fibra de vidro que usei pode ser substituida por qualquer material que seja rígido e liso, e que de para furar.


Nota sobre a inediticidade do sax de papel e quadrado:

De início, me achei inovador quanto ao sax quadrado e não inovador no sax de papel, mas, após pesquisas, com os 2 bixinhos prontos, descobri esse link (http://windworld.com/bart/invented-instruments/winds-wooden-saxophones/), onde um cidadão norte-americano já fez um sax quadrado de madeira (com um som e visual lindo), porém, não posta como fez ou porque fez tal. Também achei uma foto de um sax quadrado de madeira já em curva, nesse link (https://www.flickr.com/photos/dorsetdriftwood/2428579310/in/photostream/), porém, não tem o som, e me parece bem grosso o diâmetro perto da boquilha, fora o seu criador ainda não ter me respondido quanto ao som.
Quanto ao sax de papel, encontrei só um vídeo na internet sobre tal, mas, por ser uma imagem escura, e pelo tocador não usar as 2 mãos, me parece mais um tipo de kazoo: https://www.youtube.com/watch?v=4UW0n8uT4KA

É de fato um sax? Por uma definição bem aprofundada do que é um saxofone!

Talvez esta pergunta seja a mais matadora, pois a definição do senso comum para saxofone seja "instrumento de metal que lembra o formato de um caximbo", e, para os menos leigos, seja "instrumento cônico de palheta simples, com sistema de chaves, que possui no mínimo 2 oitavas".
Bom, esse instrumento, o sax quadrado, possui 15 notas, ou seja, são quase 2 oitavas, mas, não é cônico, é triangular em seu crescimento, e sua boca é quadrada (veja um triângulo de 4 lados visto por todos os lados), porém, ele tem um início (tudel) menor que o fim (campana), bem como cresce do começo ao fim de forma progressiva (isto é, seu crescimento de diâmetro é gradual, sem mudanças bruscas, como, por exemplo, o tubo do clarinete, que no fim vira uma campana bem aberta). As notas que são afetadas pela chave de registro oitavam (as notas la, si, do, ré e mi continuam sendo elas mesmas, porém, mais agudas), e os efeitos de vocalização (frulatto) são possíveis. O sistema de chave pode ser feito para ele, e aprova disso é que eu fiz 2 chaves para meu sax, uma para o registro, e outra para a nota si, mas, nada impede de pessoas fazerem mais chaves abertas e fechadas e fazerem seus próprios sistemas.
Sendo assim, lanço minha definição para saxofone, mais aprofundada e ampla: saxofone é um instrumento de palheta simples em que seu início é menor em diâmetro que seu fim, e seu diâmetro cresce de forma progressiva; tendo notas que oitavam.


Considerações sobre o projeto e a inovação deste:

Como eu tinha escrito anteriormente, o saxofone de pvc é um instrumento que tem problemas para afinar em virtude do diâmetro do pvc ser limitado. Com esse projeto, creio que consegui superar tais limitações, porém sem sair do trabalho com materiais reciclados, e, ainda, lanço a possibilidade de pessoas pobres feito eu terem/fazerem um instrumento musical bacana e mais completo que o sax de pvc, se apropriando de uma tecnologia e de um conhecimento, no caso, da confecção de instrumentos, do lidar com reciclado e do tocar.
Entendo que este projeto é muito inovador, pois qualquer um com dedicação pode faze-lo, seja de papel, plastico ou metal, com ou sem chaves, e assim não precisa desembolsar dinheiro para comprar o de fábrica.
Claro que o sax de fábrica terá ainda algumas vantagens iniciais (sistema de chaves pronto, timbre valorizado socialmente, o fetiche que o encobre e que o tocador pode se valer), mas, ainda sim, entendo que, com muita dedicação, um sax quadrado ou de papel, reciclado, possa atingir a qualidade sonora de um de fábrica, bastando a dedicação daquele que o faz. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário