sexta-feira, 4 de julho de 2014

Saxofone Slide - um sax que eu nunca tinha ouvido falar

Olá macacada, tudo bem?
Bom, hoje venho falar deste sax, que descobri ontem a noite enquanto olhava a internderd para meu mais novo ultra secreto projeto!

Segundo o artigo de Paul Cohen , o saxofone slide é uma criação do pós primeira guerra mundial que não vingou na "moda", e acabou por se tornar um item raro, de colecionador.


Foto 1: vista lateral, onde é possível vislumbrar a alça da lâmina e boquilha.
Foto 2: vista de cima, lingueta acionada, é possível ver as marcações da afinação.
Fonte da imagem: http://bassic-sax.info/blog/?p=31064

Tocando com palheta similar à do sax soprano, ele não tem a nota fixa, igual à uma flauta de embolo, podendo inclusive oitavar, tendo alguns instrumentos chave de oitava. Ao contrário da flauta de embolo, ele não comprime o interior, mas, sim, tem uma lingueta na sua lateral, que, ao ser puxada para cima, abre mais e mais, dando o agudo, se empurrada, fecha e da o grave. Seu funcionamento foi aperfeiçoado, e, em 1928, chegou a ser tocado em shows, porém, não vingou.

Duas empresas fabricaram tal instrumento, a Heiffel & Husted (que detinha a patente) e Lyon and Healy (contatada pela primeira para também fabricar). A criação da Heiffel & Husted tinha gravado, ao lado da guia da lâmina, as notas, o que permitia maior controle da afinação ao instrumentista.
Uma vantagem deste instrumento, segundo o artigo de Cohen, é que é fácil de ser jogado, e vários efeitos que demorariam anos num sax comum podem ser tocados sem muita dificuldade, fora as facilidades de manutenção, afinal, não tem sapatilhas e nem sistema de chave.

Agora vem a pergunta: porque este instrumento, com tantas vantagens, não popularizou?
Segundo Cohen, o saxofone no jazz, em dado momento, ainda não tinha se popularizado (provavelmente na época do lançamento deste instrumento). Também ele tem um som um pouco mais  escuro que o sax "normal", entendo ser por causa de sua cúpula logo acima do cone.

Apesar de ser raras as gravações deste sax na época de sua fabricação, existem alguns vídeos dele na internet, apesar de ser com tocadores contemporâneos. De toda forma, creio que valha a pena assistir:



Considerações finais

Creio que daqui possamos tirar algumas lições para instrumentos musicais futuros, no caso, a lingueta parece ser um mecanismo interessante se aplicado em outros instrumentos como as flautas ou clarinete, porém, ela ficar muito a mostra pode ser um problema (ou não, se pensarmos nesse vídeo aqui).

Uma solução também pode ser o próprio instrumento abrir e fechar, tal como nesse vídeo, onde o cidadão faz um clarinete slide, ou melhor, busca o efeito de slide no clarinete, mas, abre e fecha ele como um alicate. Creio que essa solução possa ser aplicada a um sax também.

Penso que uma solução melhor quanto à lingueta aparecendo seja um sistema onde ela se enrole, creio que fica menos visível.


Referências:

COHEN, P. Vintage Saxofones Revisited - The Royal Slide Saxophone. Visualizado em 04/07/2014. Disponível em https://www.dornpub.com/SaxjPDF/slidesax.pdf
HALKE, Hellen. A Slide Sax That Didn'd Catch On. Visualizado em 04/07/2014. Disponível em http://bassic-sax.info/blog/?p=31064

Nenhum comentário:

Postar um comentário